Telessaúde MS

Pergunta Semanal

Tempo de Leitura

2 minutos

Data de Postagem

27/12/2023

RESPOSTA:

É evidente que o profissional da Atenção primária deve sempre considerar o contexto cultural em que está inserido, já que a ampla gama de condições culturais e sociais influenciam na profundidade do acesso à saúde sexual (Guttmacher, 2020). Considerando também que cada jovem apresenta um período de desenvolvimento sexual diferente, dependendo de fatores como a genética e as complexas interações entre fatores psicológicos, interpessoais, culturais e ambientais de cada um e que a exposição prematura à sexualidade pode desencadear o desenvolvimento sexual antes do desejado é imprescindível considerar o contexto em que os jovens estão inseridos, respeitando a etapa de desenvolvimento sexual de cada um. Logo, as abordagens aos jovens devem ser feitas individualmente, visto que a educação sexual em grupo pode ser incompreendida e danosa para o desenvolvimento saudável e natural da sexualidade (Miklósi, 2022) 

Sendo assim, cabe refletir em como abordar essa temática com os jovens que apresentam sinais de terem atingido a maturidade sexual e em como identificar tais sinais. Principiando com os sinais, é possível identificar comportamentos iniciais como trocas de carícias e beijos entre colegas, já que na fase em questão essas atitudes rapidamente podem dar origem a um relacionamento sexual (Baams, 2020). 

Dado a sensibilidade do tema quando tratado a jovens e adolescentes ainda em desenvolvimento, a utilização de metodologias ativas de caráter informal de maneira individualizada para explicação e entendimento podem ser funcionais no esclarecimento de forma apropriada (Dias, 2018).

Referências: 

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: 

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf 

BAAMS, Laura. Stages of Sexual Development. Wiley Online Library, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1002/9781119171492.wecad354. 

DIAS, Eliani et al. Roda de conversa como estratégia de educação em saúde para a enfermagem. Rev Fund Care Online. 2018 abr/jun; v. 10, n. 2, p. 379-384. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.379-384. 

MIKLÓSI, Mónika et al. [Sexual development in childhood and adolescence]. Psychiatr Hung v. 37, n. 4, p. 319-350. PMID: 36524802 

PURWANTI, Desi et al. Parents’ involvement in sexual and reproductive health education for children: a scoping review. Asosiasi Institusi Pendidikan Kebidanan Indonesia (AIPKIND), n. 1, v. 1, p 1-14, 2021. doi: 10.36749/WMM.1.1.1-14.2021 

SULLY, Elizabeth et al. Adding It Up: Investing in Sexual and Reproductive Health. Guttmacher Institute, 2020. Disponível em: 

https://www.guttmacher.org/report/adding-it-up-investing-in-sexual-reproductive-health 2019#5-contraceptive-pregnancy-related-and-newborn-care-for-adolescents.

Teleconsultor 

Juliana Dias Reis Pessalacia – Pós Doutora em Enfermagem em Saúde Coletiva pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EE- USP), Mestre e Doutora em Enfermagem Psiquiátrica pela Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP-USP). Docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/Campus de Três Lagoas.  Lattes: http://lattes.cnpq.br/4043784563120025 

Priscila Damaceno Santos – Bacharel em Enfermagem pela Universidade de Franca (UNIFRAN), mestranda no Programa de Pós-Graduação em 

Enfermagem da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Enfermeira-área da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul/Campus de Três Lagoas. Lattes: http://lattes.cnpq.br/5205986415667053

Ana Clara Bastos Matias – Graduanda do Curso de Graduação em Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

Jean Guilherme Nunes Durães – Graduando do Curso de Graduação em Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

João Pedro De Sales Jaschke – Graduando do Curso de Graduação em Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

Samira Mohamad Awada – Graduanda do Curso de Graduação em Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

Vinicius Mazoni Silocchi – Graduando do Curso de Graduação em 

Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.