Quais são os exames que podem ser utilizados para identificação de câncer de mama?

Tempo de leitura
5 minutos
Postagem
05/11/2020
Quais são os exames que podem ser utilizados para identificação de câncer de mama?

Para diagnosticar o câncer de mama, além do exame clínico, a mamografia é um dos mais importantes, que inclusive é utilizado como rastreio de câncer de mama.

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) recomendam a mamografia anual para as mulheres a partir dos 40 anos de idade, visando ao diagnóstico precoce e a redução da mortalidade. Tal medida difere das recomendações atuais do Ministério da Saúde, que preconiza o rastreamento bianual, a partir dos 50 anos, excluindo dos programas de rastreamento uma faixa importante da população (mulheres entre 40-49 anos), responsável por cerca de 15-20% dos casos de câncer de mama.

Os achados da mamografia são classificados pelo sistema BI-RADS, e a confirmação diagnóstica só é feita por meio da biópsia, que consiste na retirada de um fragmento do nódulo ou da lesão suspeita por meio de punções (extração por agulha) ou de uma pequena cirurgia. A amostra do material retirado é encaminhada para análise de um patologista, médico especializado no diagnóstico de doenças por meio da análise de tecidos (exame histopatológico), para a definição do diagnóstico.

BI-RADS

O que significa

O que fazer

0

Exame inconclusivo

É necessário realizar outros exames por outro método

1

Normal

Mamografia de rotina

2

Alteração benigna

Mamografia de rotina

3

Alteração provavelmente benigna

Realizar mamografia em 6 meses para acompanhamento

4

Alteração suspeita

É indicado fazer biópsia para confirmação

5

Alteração muito suspeita

É necessário fazer biópsia para confirmação

6

Lesão maligna

É usado para pacientes em que já se tem a confirmação do diagnóstico (para avaliação do tratamento pré-operatório, por exemplo)

Ultrassonografia, ressonância magnética, tomossíntese são outras tecnologias que contribuem para a detecção da doença.

Referências
  1. Agnoli, F. et al. Mastologia: do diagnóstico ao tratamento. São Paulo: Conexão Soluções Corporativas, 2017. 650 p.

Descritores CIAP2

X76 Neoplasia maligna mama feminina

Teleconsultora

Nayara Sibelli Fante Casemiro –  Médica especialista  Ginecologista/ Obstetra e Mastologia. Docente do Curso de Graduação em Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0664087105584194

Apoio Acadêmico

Fernando Carli de Oliveira – Graduando do Curso de Graduação em Medicina do Campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3137506888851696

Com dúvida clínica?

Essa resposta foi gerada a partir de Teleconsultoria, canal gratuito para resolução de dúvidas de profissionais da saúde.

Gostou? Tem mais!

Confira mais Perguntas Frequentes.

Veja o que tem sido mais perguntado pelos profissionais de saúde do Mato Grosso do Sul.

Horário de Funcionamento

7h30 às 17h30

Horário Oficial de Mato Grosso do Sul

Nos ligue!

Telessaúde MS

(67) 3345-8070

CETELTI | TI do Telessaúde MS

(67) 3345-8011

SES | Help Desk | Suporte em TI

(67) 3323-7100, opção 1

Fale Conosco

Copyright © 2020 - Telessaúde MS - CETELTI Ana Damore 

Ajuda?